domingo, 23 de julho de 2017

Há Muito A Fazer

Texto: Mateus 9:35-39

Os capítulos 8 e 9 de Mateus, relatam parte do ministério público de Jesus. Percebemos como a região onde Ele atuou foi impactada pelo Poder do Evangelho: Leprosos foram limpos, cegos viram, mudos falaram, mortos ressuscitaram, uma simples palavra liberou a cura a distância, uma mulher teve sua hemorragia estancada, a tempestade foi acalmada, demônios foram expulsos, loucos voltaram a razão, a esperança foi renovada na vida de muitos, paralelo a isto os religiosos se levantaram e havia oposição. Mas e Jesus o que está chamando a sua atenção? Qual a sua reação? Se pudermos captar o coração Dele em meio a esse tempo, iremos compreender o seu desejo a nosso respeito como seus ministros em nossos dias.

1. O primeiro detalhe que podemos extrair desse contexto é que primeiramente Jesus estava comprometido com o Evangelho do Reino (Mt. 8.1, 9.35). Essa jornada só inicia depois da anunciação dos princípios e valores do Reino de Deus. Jesus não estava se valendo do Poder do Reino para se tornar famoso, seu objetivo era a expansão do Reino por entender que a mensagem do Evangelho era o que liberava o poder transformador sobre a vida das pessoas.

2. Jesus demonstra seu coração ao prestar atenção nas necessidades das pessoas (Mt. 9.36). O que movia Jesus era compaixão, amor pelas pessoas. Ele percebeu que elas estavam abandonadas, sem liderança, sem pastores. Meus irmãos, essa é a mesma realidade de nossos dias, milhões de vidas vagueando de um lado a outro, sem propósito, sem futuro, sem esperança. Será que iremos nos mover em compaixão como Ele?

3. Jesus percebe a oportunidade para a anunciação do Evangelho do Reino, mas esbarra na limitação da mão-de-obra (Mt. 9.37-38). As necessidades preparam as pessoas para ouvir e receber o Evangelho, sim, na enfermidade, na pobreza, na fome, no luto, nos dramas familiares, no desemprego, as pessoas se tornam mais vulneráveis para receber a mensagem do Evangelho, mas quem vai se levantar e dizer: pode me usar em meio aos caos?

4. Jesus ensina que a oração para que o Pai levante trabalhadores para a colheita é fundamental num tempo como esse. O Pai tem propósitos para as pessoas, Ele revela esses propósitos e os cumpre na vida de seus servos. Tal como levantou Isaías (6.8), Jeremias (1.5-8), Gideão (6.14). Tal como a unção libertadora estava sobre Jesus (Lucas 4.14-22), assim o Pai está te escolhendo para ser um canal pelo qual o Evangelho, e o Seu poder irá fluir e alcançar nossa geração.

Conclusão: Será que podemos ter as mesmas percepções de Jesus? Será que podemos ouvir o clamor da multidões e sentir compaixão? Quem irá responder: sim, eis-me aqui?

Pr. Joel Santos

terça-feira, 11 de julho de 2017

Curando A Alma Para Restauração Da Identidade

O Salmo 139 expressa claramente os eternos propósitos de Deus a nosso respeito. Mas os versos 23 e 24 desse Salmo nos apontam que para um posicionamento correto dentro desses planos precisamos de CURA. Para nos auxiliar vamos fazer as seguintes perguntas: você já tem as respostas para a sua jornada da vida? Sabe de onde você veio (origem) e para onde estás indo (destino), quem você é (identidade) o que podes fazer (potencial/habilidades) e porque estás aqui (propósito)? Se o Diabo está empenhado em algum trabalho, é o de destruir nossa autoimagem. Mas para isto se manifestou o Filho de Deus: destruir as obras do Diabo.

1. Vamos começar nossa conversa pensando no maravilhoso plano de Deus: Vs 13 a 18 nos revelam ...que somos obra das mãos de Deus, ...que fomos feitos de modo especial e maravilhoso, ...que não somos fruto do acaso, ...mas somos resultado de um magnífico projeto, ...que Deus o autor desse projeto está com sua mente ocupada acerca de nossa existência.
2. Como somos afetados pela doença da alma que nos empurra para fora do maravilhoso plano de Deus: ...quando nossos pensamentos estão desalinhados com o coração de Deus, ...quando nosso esforço é para fora de sua vontade, ...quando nossas palavras se tornam malignas. Essa afetação pode acontecer ao longo de nossa caminhada nos 7 períodos críticos em que estamos mais vulneráveis: concepção, gestação, parto, infância, puberdade, casamento e velhice.
3. Resultado de estarmos doentes em nossa alma e fora do plano de Deus: ...pecado que é errar o alvo, ...falta de propósito, ...frustração, ...depressão. Espírito aprisionado!
4. Quando Jesus iniciou seu ministério Ele entrou em uma sinagoga, leu Isaías 61.1,2 e disse hoje se cumpriu essa Escritura, deixando claro a razão de sua vinda: trazer cura e liberdade aos homens. Temos um Salvador, capaz de nos restaurar a plena condição de Filhos!
Conclusão: Hoje é dia de cura, para você, para sua família. Jesus é a CURA!

Deus o abençoe RICA e ABUNDANTEMENTE!

Pr Joel Santos

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Somos Responsáveis Pela Próxima Geração

Texto chave: "Ide, portanto, fazei discípulos..." Mt. 28.19



O Discipulado Das Crianças Em 5 FATOS:


1. O DISCIPULADO
O apóstolo Paulo disse, "...em nada considero a vida preciosa para mim contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da Graça" (Atos 20.24). Temos um chamado para formar a próxima geração. Está em nossas mãos. O mover de Deus virá, a questão é: através de quem ele virá? Para que o nosso chamado possa mudar a história de milhares de crianças nós precisamos investir. Fomos chamados para guardar esta geração de crianças das garras do diabo e de todas as artimanhas com as quais ele tem cercado as crianças; fomos chamados para formar as bases cristãs na vida das crianças, uma identidade de quem são. Elas precisam ter convicção de que são filhas de Deus e amadas por ele, e o que elas podem nele. As crianças precisam se ver como Deus as vê.
Discipular é formar, é colocar forma por meio do discipulado. É influenciar, e precisamos definir que tipo de influência. Fomos chamados para treinar, e treinar é ensinar fazendo junto. Jesus é o nosso modelo. Por meio do discipulado podemos ensinar a criança a orar, a ler a palavra, a ter fé, a ouvir a voz de Deus e obedecer, a vencer os ataques do diabo. Discipular é treinar as ovelhas a conhecerem A Voz do Pastor JESUS.

2. A FAMÍLIA
Crianças têm necessidades espirituais que precisam ser supridas e os primeiros a serem responsáveis por suprir essas necessidades são os pais.
Deus deixou o trilho de crescimento: "Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão, e te serão por frontal entre os olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas duas portas" (Deuteronômio 6.6-9).
Os pais são os primeiros responsáveis por suprir os seus filhos dos princípios morais e cristãos, cuidar para formar o caráter, o respeito, os limites e as regras e, principalmente, ensinar a criança a amar a Deus e obedecer os princípios espirituais da palavra de Deus.

3. A IGREJA.
"...apascenta os meus cordeiros..." (João 21.15)
Apascentar é cuidar, guardar, direcionar, ensinar a palavra, ensinar a orar a se relacionar com Deus. Temos uma liderança, e em nossa visão cada membro é um ministro, e o papel do líder/ministro é conduzir, mas conduzir quem e para onde?
Nosso modelo é o trabalho em conjunto:
Igreja + Lar + Célula.

4. A ESCOLA
Sabemos que o reino de Deus é das crianças, mas quando é que esse reino se vai?
A escola é um lugar de teste para os pais, pois lá seus filhos serão discípulos de alguém. De quem? A escola forma princípios na mente e no coração das crianças, por meio de seus professores. Não há nenhum professor que se mantenha neutro de suas opiniões, padrões ou crenças. Se professores cheios do Espírito não influenciarem seus filhos, outros professores irão influenciá-los com o que eles têm. Adolfo Hitler, o ditador, formou professores para ensinar a sua ideologia nazista, eles as colocaram em diversas disciplinas, ensinando princípios malignos nazistas; esse investimento formou um exército forte e convicto de suas crenças e valores.
Se a família e a igreja não se unirem no discipulado eficaz, para formar identidade cristã, então, a escola, o mundo ou a mídia o farão de forma contrária.

5. A MÍDIA
Moisés enfrentou bravamente a Faraó e seu sistema. Se o chamado de Moisés fosse para você, o que você faria quando o faraó permitiu que eles fossem embora, contanto que deixassem as crianças? Você negociaria a libertação das crianças? Moisés não tinha uma visão clara de como seria o final de tudo, qual o propósito completo de ser chamado, mas ele não negociou as crianças do povo de Deus. Um dia ouviremos da Sua boca: servo bom e fiel.

Pra. Ângela

domingo, 12 de fevereiro de 2017

O Poder da Oração Na Família

A oração efetiva é a chave para o sucesso em cada área da vida; é o segredo da vitória no trabalho de Deus, na família e na vida pessoal. Oração é a mais poderosa arma contra os poderes das trevas; é também a chave que abre os tesouros do céu para o homem. Fica, pois, claro que cada esforço no reino de Deus só terá sucesso se for gerado e sustentado pela oração. Todo sucesso na vida cristã é proporcional ao tempo de oração. 10% de oração, 10% de sucesso; 50% de oração, 50% de sucesso; 100% de oração, 100% de sucesso. Em Lucas 18.1 fala do “Dever de orar sempre e nunca esmorecer”; I Tessalonicenses 5.17 declara: “Orai sem cessar”. O apostolo Paulo recomenda: Orando em todo tempo no espírito... Efésios 6.18.

I . A oração deve ser um estilo de vida para toda a família.

1. Oração é o primeiro passo para que os membros da família tome conhecimento quem é o Senhor Jesus. Romanos 10.13: “Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.” O homem só vai a Jesus pela oração e todo seu andar com Ele é firmado na oração.
2. Oração é dar a Deus acesso as nossas necessidades tanto no nível pessoal ou familiar. Filipenses 4.6-7: “Não andeis ansiosos por coisa alguma; antes em tudo sejam os vossos pedidos conhecidos diante de Deus pela oração e súplica com ações de graças; e a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos pensamentos em Cristo Jesus.”

II. Inimigos da oração na família.

Relacionamentos errados na família 1 Pedro 3.1-7. Marido e mulher devem andar em comunhão, a vida conjugal deve ser posta diante de Deus. As orações não estão sendo respondidas? Pode haver falhas no relacionamento.

Falta de perdão entre os membros da família. Marcos 11.25 “Quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que também vosso Pai que está no céu, vos perdoe as vossas ofensas.” Enquanto você guardar o mal, o espírito de inimizade ou de vingança contra aqueles que te ofenderam, ou se guardar espírito de rancor ou mágoa contra alguém fecha os ouvidos de Deus para sua própria petição.

Contenda entre os membros da família. Tiago 3.16: “Pois onde há inveja e ambição egoísta, aí há confusão e toda espécie de males.” Salmos 66.18: “Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá;”
O apostolo Paulo declara que por causa de contendas, satanás pode tornar cristãos prisioneiros de sua vontade. A ausência de contendas é a chave para afastar a confusão e o mal. Dê a Deus oportunidade de criar um sistema de harmonia em volta de você e sua vida de oração começará a funcionar.

III. Como uma família pode exercer o poder da oração?
  • Quando todos os membros entendem que é Cristo quem reina no meio deles.
  • Quando toda honra e gloria é dada ao Pai em Cristo Jesus por meio de nossas vidas.
  • Quando se compreende que a principal fonte do amor é o perdão.
  • Quando servimos os membros de nossa família como se tivesse servindo o próprio Cristo.
  • Orando por cada um deles como se fosse uma oração pela nossa própria vida.
  • Honrando cada um deles sabendo que Cristo por meio do seu Espírito também habita em suas vidas.
Conclusão: A sua família deve ser alvo da sua oração diária para que o seu lar tenha paz, harmonia, entendimento e unidade de propósitos.

Pr. Messias L. Cunha